Quadrilha suspeita de roubar e adulterar leite é presa em Goiás

DSC07267A polícia prendeu na cidade de Morrinhos sete pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha de roubo e adulteração de leite em vários municípios da região sul de Goiás. Segundo as investigações, a carga roubada era levada para uma fazenda próxima ao trevo que dá acesso à cidade de Buriti Alegre, a 192 km de Goiânia. Após ser adulterado com água, sal e açúcar, o leite era armazenado em péssimas condições de higiene, em meio a insetos como baratas.

DSC07283De acordo com a polícia, o leite adulterado era vendido para laticínios clandestinos, também em Goiás. A prisão dos suspeitos aconteceu na madrugada de domingo (19). Os suspeitos serão apresentados na manhã desta segunda-feira (20) na Delegacia da Polícia Civil de Morrinhos.

De acordo com a polícia, o crime era cometido há vários anos e toda semana, pelo menos, 10 mil litros do produto eram desviados. O prejuízo, só em Morrinhos, chega a R$ 60 mil.

A quadrilha começou a ser monitorada em novembro do ano passado. Em apenas uma das rotas feitas pelos criminosos, a polícia encontrou três caminhões que já tinham transportado 700 mil litros de leite em uma semana.

via G1 Goiás

saiba mais

Nota da Polícia Civil de Goiás:

A Polícia Civil de Morrinhos realizou nesta madrugada (19/05) uma grande operação com o objetivo de prender uma quadrilha que vem furtando há anos aproximadamente 10.000 litros de leite semanalmente dos produtores de leite cooperados da COMPLEM. Foram presos sete suspeitos:

1- Humberto Pereira Oliveira – 48 anos (Chefe da quadrilha)

2-Liomar Fernandes Rodrigues – 39anos
3- Leandro Jose de Souza – 37 anos

4- Julio Cesar Silva – 22 anos

5- Weider Aleixo Silva – 25 anos

6- Jose Roberto Paulo de Souza – 22 anos

7- Gilciene Elias da Costa – 38 anos

A ação é fruto de investigações realizadas pelo Delegado de Morrinhos Rilmo Braga e sua equipe, com apoio da unidade de inteligência da 6ªDRP-Itumbiara, após denúncias feitas pelo Sindleite (Sindicato das indústrias de laticínios do estado de Goiás), onde constavam informações preliminares de que quadrilhas atuavam em toda região Sul do estado, furtando leite de dezenas de rotas da região de propriedade de vários laticínios. Na denúncia constava que a Complem, o laticínio Bela Vista, a Marajoara, Italac e outros eram vítimas dessas quadrilhas.

O monitoramento da quadrilha presa foi iniciada em novembro do ano passado, tendo sido identificado que o chefe da quadrilha que atuava na região Sul é Humberto, o qual mantinha os demais presos como seus motoristas trafegando pelas principais linhas e rotas leiteiras da região, transportando dezenas de milhares de litros de leite semanalmente. Somente esse mês Humberto havia transportado mais de 700.000 litros de leite em seus três caminhões, todos apreendidos.

Suspeitas dão conta de que Humberto furtava aproximadamente 15 % do leite que transportava, principalmente dos cooperados da região da Areia, Marcelania, Bom Jardim das Flores, Edealina e da região do Mimoso. Consta nos autos que ele levava esse leite  furtado para sua fazenda na região do trevo de Buriti Alegre e lá produzia um leite adulterado com substâncias que aumentava a quantidade do leite. Preliminarmente a substância acrescida pelos suspeitos é composta por água, sal e açúcar. Com esse leite acrescido ele possivelmente revendia esse leite desviado dos grandes laticínios, após adulterar o produto,  para laticínios piratas na região, onde eram produzidos queijos e derivados sem qualquer procedência. Na fazenda de Humberto foram apreendidos 345 sacos de 2 kg de açúcar e 3 sacos de 25 kg de sal.

No local foram apreendidas centenas de litros da mistura usada por ele na adulteração desse leite que ele mesmo revendia em laticínios piratas. No local também foi apreendido um revólver que era usado por Humberto, segundo denúncias, inclusive para convencer comparsas a permanecer na quadrilha criminosa.

Anúncios

Os comentários estão desativados.